segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

~ O Amor!


É incrível como para algumas pessoas dizer: ‘EU TE AMO’ é fácil, normal, assim como dar um ‘bom dia’, ‘boa tarde’, ‘boa noite’. Mas, será que falar é o bastante?
O amor não é apenas um simples sentimento! O amor é feito de atitudes, carinho, respeito, honestidade, lealdade, dialogo, companheirismo, amizade, afeto, caricias, paixão, compreensão, reciprocidade.
O amor está presente em um aperto de mão, em um olhar, em um sorriso, uma lagrima, um grito, uma saudade, uma suavidade, uma musica, um som, um detalhe, um abraço, um inesperado: eu te amo, um pensamento, um afogo nos cabelos, um cheiro, um estar junto!
O amor é feito das pequenas coisas, e às vezes, as que mais desprezamos.
Lembre-se: Os gestos valem mais que mil palavras!
E sentir-se vai mais além.


"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba."
(I Coríntios 13)

Saudade

Confesso que muitos motivos me trouxeram aqui novamente. Alguns acontecimentos, algumas decepções; mas o motivo maior foi a saudade! Não somente de escrever, mas saudade de dias que não voltam mais.
Saudade da minha infância, onde não existia maldade;
Saudade das noites na calçada rindo das pequenas coisas que a vida nos oferece;
Saudade das pegadas na área da praia em dias amargurados, onde minha companhia era o vendo que enxugava minhas lagrimas, e o som das águas do mar acompanhando as batidas do meu coração;
Saudade das noites em que mainha sentava ao lado da minha cama para contar historinhas, onde tudo era um conto de fadas;
Saudade da ideologia da vida como um jardim do Éden.
Saudade dos choros e sorrisos sinceros;
Saudade dos filmes, das musicas, dos livros que me faziam refletir sobre a vida;
Saudade dos canto dos pássaros, onde me arrebatava dessa vida;
Saudade das noites estreladas que me faziam imaginar uma vida diferente;
Saudade das gargalhadas sem motivo algum, até mesmo na piada do pato de uma perna só; [Flavinha]
Saudade das viagens só para ver a beleza da natureza;
Saudade de um abraço apertado, de um aperto de mão sincero, de um sorriso que transmitia um brilho no olhar;
Saudade das amigas que me fizeram crescer na vida;
Saudade das palavras, das conversas;
Saudade da verdade que as pessoas me passavam;
Saudade da perfeição que era a vida, da alegria intensa em somente ver o sol, a lua, o cair da chuva, o som do trovão, o passar das nuvens, o brilhar das estrelas...
Saudade dos pequenos detalhes, mas que fazia de mim uma pessoa melhor.

“Deus é testemunha de que tenho saudades de todos vós, com a ternura do Cristo Jesus. (Filipenses 1,8)




Um beijo em especial para: ThaisFreitas, JessikaDantas, Braminha, LuanaCristina, PatriciaBrasil, Maria e GabrielLacerda.